sexta-feira, 1 de abril de 2011

Resposta a um elogio

Que nada foi apenas sua presença inebriante
Que tirou de mim ideia tão delirante
Consultando em meu coração os sentimentos mais puros
Trazendo a tona a queda de todos meus muros
Que escondiam meu ser
Ah por que fui te ver
Agora não posso mais me enclausurar na entranhas de minhalma
Mostrar-me-ei a você sem parecer que te quero calma
Quero que conheças o Eu que quase ninguém conhece
Farei para isto até uma prece
Pois fez de mim alguém que não merece
Mas se não for assim serei alguém que padece
Com a saudade de te ver mias uma vez
Mesmo que seja apenas pelo momento que se fez.