terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ode a uma mulher

O dia amanhece
Melhor do que parece
A vida se transforma e floresce
Pois sua presença
Torna a vida uma dança
Trazendo alegria e esperança
Envolve-nos o Amor
Com simples ardor
Certo como a Flor
Com a beleza que Ilumina
Procuramos o amor na esquina
Lá não encontramos mais que a quina
Temos que buscar o Amor
Dentro de nossos corações com furor
Encontrá-lo e conservá-lo sem dor
Este poema veio de alva musa
Com face de menina que ainda usa
Saia plissada como as de escola com blusa
Meias três quartos e sapatinho verniz preto
Ela trouxe de minha raiz o que é certo
Como a vontade de falar o que passe perto
De meu coração, porém, que não quer ser descoberto
Não agora que crio coragem de dizer
Aquilo que vem me torturando a viver
Quero que ela saiba, mas não agora para não bater
a vontade de se esconder.