sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Hoje

O dia amanhece com ar de preguiça.
Lentamente vamos acordando com toda calma.
Ou melhor dizendo sem calma alguma.
Não queremos acordar, nossa mente está letárgica.
E, esta letargia toma conta de nós, e nós lutamos.
Não queremos levantar, mas temos, somo obrigados.
Este ato vil nos dá certa insatisfação, nos irrita.
Tomamos um banho, só parea ver se melhora.
Mas que nada, continuamos na mesma.
Nos olhamos no espelho, que lástima!
Colocamos a primeira roupa que vemos em nossa frente.
Na mesa, nada de café, apenas o saco de pão amanhecido.
E com a sensassão de estar sem forças, lambuzamos o pão com margarina e o comemos.
Recorremos aqueles capucinos de lata, engolimos como se fosse féu.
Ralhamos com os cães que ladram na porta querendo sair.
Vamos trabalhar, sem a mínima vontade, mas vamos.
Chegamos ao trabalho...
Ah...
Máquina de café espresso!
Que barulinho bom, o som das engrenagens trabalhando.
Ela nem imagina o bem que nos faz naquele momento.
Não conseguimos nos concentrar e daí...
Resolvemos então fazer algo, mas, o que?
Tentamos pensar, as ideias iniciam e desvanecem sem força.
Nosso cérebro continua letárgico.
Damos uma forçada nos neurônios, e daí a mágica acontece.
Cada um com sua ideia, eu resolvi escrever este, e você?