sábado, 9 de maio de 2015

Minha Amiga

Morro de saudades de você.
Mas não vens me ver.
Morro de amores por você.
Mas não te importas.
Morro de vontade de abraçar-te.
Mas esqueceste de mim.
Mas quando te ver viverei.
E reviverei como a fênix voltando das cinzas.
Quando te abraçar ganharei forças para continuar.
Quando matar a saudade que me mata.
Sentir-me-ei mais feliz que a lua quando no crepúsculo encontra-se com o sol.
Mais feliz que um passarinho a banhar-se no verão.
Pois, minha amiga, te amo de verdade e de todo meu coração.