terça-feira, 26 de maio de 2015

No vazio dos olhos

Tem horas que olho no espelho e vejo o vazio.
No fundo dos olhos a luz se apaga.
Busco fundo na alma a razão para prosseguir.
E na memória brota uma imagem.
Que varias vezes muda de forma.
Esta imagem e um sorriso.
Um sorriso amigo que se aproxima.
Se transforma em um abraço.
Este cobre a alma de ternura.
E no fundo do olho acendendo uma luz.
Ele se torna calor.
Preenchendo o que antes era vazio.
Com aquilo que chamamos amor.
André Moretto